fbpx

Planejamento de viagem por conta: principais dúvidas

Julho de 2020

Quando o assunto é planejamento de viagem por conta, surgem diversas dúvidas que podem preocupar os viajantes, especialmente aqueles acostumados a contratar um serviço especializado, ou seja, o famoso pacote de viagens.

Mas, nesse post vamos responder brevemente às 4 principais dúvidas. Não temos a intenção de esgotar esse assunto, mas sim começar uma reflexão sobre esses pontos tão importantes a fim de que os viajantes se sintam mais confortáveis com o assunto e com a possibilidade de começar a planejar suas próprias viagens.

Eu mesma já senti esse medo e por isso sei que não é fácil dar o primeiro passo. Mas, também sei que é perfeitamente possível e que ao fazê-lo atingimos um outro padrão de qualidade nas nossas viagens, as quais ficam muito mais personalizadas e interessantes.

Afinal, ninguém nos conhece melhor do que nós mesmos, não é verdade?

Então, vamos lá.

1- Viajar por conta própria é seguro?

Tanto viajar contratando um serviço especializado como fazer um planejamento de viagem por conta própria envolve alguns riscos.

Mas, sabe o que é realmente perigoso? 

O mais perigoso é a falsa sensação de segurança, ou seja, não procurar saber o que é preciso para lidar com imprevistos de viagem e confiar que absolutamente tudo será resolvido por quem vendeu o pacote.

Explico.

Alguns viajantes depositam uma expectativa sobre o serviço contratado que vai além do que está acordado em contrato.

Exemplo: se o viajante enfrenta problemas com a imigração, não há como intervir a favor dele; se a pessoa enfrenta algum problema que não estava coberto pelo seguro viagem (isto é, se aceitou o seguro que foi oferecido no pacote, a agência não pode ser responsabilizada por algo que deu errado em função dessa escolha); se o viajante tem dias livres no roteiro, mas se sente desconfortável com a barreira da língua e em deslocar-se sozinho.

Então, a segurança de viajar por conta ou viajar com assistência depende do quanto o viajante está preparado com informações que venham a lhe auxiliar durante a viagem.

Quanto mais ele souber sobre seus direitos, sobre o roteiro, sobre os termos dos serviços contratados e sobre como funciona um bom planejamento, melhor e mais tranquila será a sua experiência.

E isso independe do formato, pois é muito importante tanto pra quem contrata um serviço especializado como pra quem viaja por conta própria.

2- Viajar por conta é realmente mais barato?

Existe apenas uma situação que tem o poder de vencer o planejamento de viagem por conta em termos financeiros. E eu já vou falar qual é. Mas, antes, quero apontar um motivo principal que torna uma viagem por conta realmente mais barata.

Quando a viagem é planejada do zero à execução, cada uma das suas etapas pode ser pesquisada com uma atenção especial, de modo a encontrar o melhor custo-benefício.

Assim, como o viajante tem o controle exato sobre a escolha de cada detalhe da sua viagem, fica muito mais fácil ter uma boa referência de preços para cada serviço, bem como saber onde encontrar o melhor preço.

E isso é interessante tanto pra quem viaja com agências, como pra quem pretende planejar sozinho a própria viagem, afinal, conhecimento é poder e isso te dá maior poder de negociação também, seja com quem for.

Então, viajar por conta só não vai ser mais barato quando existem acordos especiais entre fornecedores, como por exemplo: voos fretados, parcerias especiais com hotéis etc.

Mas, sem dúvida, se o viajante tem uma boa referência do que é um bom preço para aquele destino específico e qual é o preço mais barato possível que se pode conseguir para aquele mesmo serviço mais fácil é a análise do viajante sobre o que está sendo oferecido e com mais confiança a sua decisão é tomada.

3- Qual a diferença entre quem planeja uma viagem e quem planeja viajar mais?

Planejar uma viagem é, basicamente, providenciar tudo aquilo que é necessário para que ela aconteça: reserva de passagens aéreas, hospedagem, compra de ingressos, traslados etc.

Mas, planejar uma viagem com foco em viajar mais, ou seja, em fazer com que o dinheiro renda muito mais, exige que o viajante tenha outro olhar sobre cada etapa da viagem.

Por exemplo: o viajante A e o viajante B. O viajante A compra o bilhete aéreo pensando nas suas datas, nos horários etc. O viajante B, que é aquele que tem o foco de usar o planejamento em favor de viajar mais, procura entender como funciona a precificação das passagens aéreas, onde e quando encontrar os melhores descontos e até, em um nível mais avançado, como encontrar passagens gratuitas.

Da mesma forma com as hospedagens, ele não faz somente a reserva do hotel procurando o melhor preço, mas ele procura conseguir hospedagens com melhor custo-benefício ou até mesmo, em um nível mais avançado, hospedagens de luxo de graça.

Com isso, o foco não está em planejar apenas uma viagem, mas em multiplicar o seu dinheiro para usá-lo em mais de uma viagem. 

Assim, com essa lógica que nós temos feito 2 ou mais viagens com o que antes gastávamos em apenas 1, mas sem perder o conforto.

4- Planejar é ter uma viagem engessada?

Planejar não significa que você vai deixar de viver algo novo ou surpreendente, pelo contrário, você explora sua viagem de uma forma muito mais inteligente, fazendo o seu tempo e o seu dinheiro renderem muito mais.

Outra vantagem do planejamento de viagem por conta é a tranquilidade de não ter que quebrar a cabeça pra decidir coisas na hora da viagem que já poderiam ter sido pensadas antecipadamente nem passar alguns perrengues que poderiam ser evitados com a prevenção.

Exemplo: leis de trânsito no destino (não sabê-las, pode ocasionar multas caríssimas); taxas turísticas de hotéis estilo resort pra quem não pretende utilizar esses serviços (isso é cobrado na hora da estadia e poderia ser evitado, caso o viajante não tenha a intenção de curtir os serviços oferecidos pelo hotel e sim passar mais tempo explorando o destino); se deslocar de trem e não saber qual a política de bagagem (se aceitam ou não a quantidade de bagagem que você está levando) etc.

Outra vantagem de viajar por conta é que você tem liberdade de rever sua programação em caso de mudanças climáticas ou mesmo da sua vontade. Então, a sua experiência é de liberdade.

No entanto, quando você contrata um serviço, aí sim é que você fica engessado porque dificilmente será possível negociar mudança de datas e horários dos passeios.

E, mesmo que surjam imprevistos, o que pode acontecer de um jeito ou de outro, o importante é ter bom humor e uma atitude flexível para não deixar que isso atrapalhe suas férias. Lembrando que quanto mais conhecimento, mais seguro você vai se sentir pra lidar com as situações que surgirem.

Em conclusão

Fazer um planejamento de viagem por conta não precisa ser perigoso nem caro. Pelo contrário, vimos nesse post que pode ser ainda mais interessante, em função da liberdade que isso proporciona ao viajante e da economia que se pode fazer na escolha dos itens que compõem a viagem. E, ter o controle de cada gasto pode ser um fator que facilita muito para que o dinheiro renda mais viagens.

Espero que esse post o tenha encorajado a começar esse estilo de viagens ou caso você já viaje dessa forma, que ele o tenha motivado a continuar conhecendo o mundo gastando muito menos.

Compartilhe conosco a sua opinião nos comentários. Vamos curtir muito saber.

Gostou deste post? Compartilhe.

Facebook
Pinterest
WhatsApp
Imprimir
Telegram
E-mail

São coisas que detonam suas viagens.

Sem dúvida, 4 coisas que detonam suas viagens.

* Temos orgulho de só publicar artigos baseados em viagens que a autora realmente fez, então, se ler algo por aqui, pode confiar.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais da autora.

Posts relacionados

Logo, podemos ver que esse post foi escrito do mesmo modo que os demais. Entretanto, com originalidade, assim como as fotos são inéditas. Portanto, contudo, todavia, não é visto que isso é assim. Em outras palavras, as fotos não são divulgadas. Da mesma maneira, sim. Contudo, também. Surpreendentemente, sim. Inegavelmente também. Analogamente, assim. Anteriormente, também. Decerto, sabemos. Eventualmente, será. Outrossim, talvez. Precipuamente, quem sabe. Salvo que seja diferente. Primordialmente também. A menos que não reconheça. Antes que chova. Ao propósito de concluir. Com efeito, será. De acordo com isso. De tal sorte que teremos alguém. Em contraste com aquilo. Seja como for, todos. Em princípio será assim. Além disso, irei. Em resumo também. Por outro lado falarei. Em terceiro lugar, jamais. Agora sabemos. Nesse hiato funciona. Pelo contrário. Nesse ínterim também. Por analogia dará certo. Nesse meio tempo acontecerá. Por conseguinte todos. Sob o mesmo ponto de vista será ótimo. Tanto quanto você. Se bem que eu faço. Uma vez que saímos. Visto que falamos. Ora pra cá ora pra lá. quer andando quer fazendo. Ou isso ou aquilo. Finalmente podemos. Provavelmente faremos. Afinal, é possível. Aliás, que bom. Conforme fizemos. Conquanto amamos. Sobretudo vocês. Enfim, podemos. Para que se faça. Por certo falaremos. Enquanto não se sabe. Eventualmente dará certo. Em conclusão sim.